Artigos publicados em periódicos

Acesso aberto aos artigos publicados em periódicos em 2016 do LaboMídia.

Documentos

Ordenar por : Nome | Data | Acessos [ Descendente ]

A IDENTIDADE ESPORTIVA DOS ATLETAS COM DEFICIÊNCIA A IDENTIDADE ESPORTIVA DOS ATLETAS COM DEFICIÊNCIA

hot!
Adicionado em: 08/02/2017
Date modified: 08/02/2017
Tamanho: 17.43 MB
Downloads: 145

SANTOS, Silvan Menezes dos; FERMINO, Antonio Luis. A IDENTIDADE ESPORTIVA DOS ATLETAS COM DEFICIÊNCIA: UM ESTUDO DA COBERTURA FOTOGRÁFICA NO INSTAGRAM DO COMITÊ PARALÍMPICO BRASILEIRO. Cadernos de Educação, Tecnologia e Sociedade: CETS, Inhumas, Goiás, v. 8, n. 3, p.319-336, 2016. Disponível em: <http://cadernosets.com.br/index.php/cadernosets/article/view/358/186>. Acesso em: 8 fev. 2017.

O discurso midiático-esportivo pode exercer um papel fundamental no processo de estigmatização ou desestigmatização das pessoas com deficiência na sociedade. Neste sentido, a questão norteadora deste estudo foi: de que maneira os enquadramentos fotográficos das postagens do CPB no instagram, que retrataram os atletas com deficiência durante os Jogos Parapan-americanos de 2015, contribuíram para uma representação esportivizada dos mesmos? Para a realização desta pesquisa, recolhemos todas as postagens feitas no instagram do CPB do dia 31 de julho ao dia 15 de agosto de 2015, período que contemplou a realização dos Jogos Parapan-americanos de Toronto. Para o corpus de análise selecionamos 93 imagens que retratavam os atletas com deficiência. As imagens foram organizadas e analisadas a partir de quatro categorias pré-definidas: 1) a visibilidade da deficiência; 2) o espaço ocupado pelos atletas; 3) a postura dos atletas; e 4) a indumentária dos atletas. Constatamos, ao final deste estudo, que a cobertura fotográfica do CPB em seu perfil do instagram contribuiu parcialmente para uma visão esportivizada dos atletas com deficiência, evidenciando uma tendência em enfatizá-los ocultando as suas deficiências, mostrando-os em posições passivas e sem os seus uniformes de competição. Indicamos, portanto, que as instituições esportivas e midiáticas mostrem os atletas com deficiência sem ocultar ou mitificar suas identidades corporais, sem criar uma identidade virtual ou uma segunda realidade sobre os mesmos. 

MANIFESTAÇÕES SOCIAIS E MÍDIA NA COPA DAS CONFEDERAÇÕES 2013: ESTUDO COM PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM FORMAÇÃO INICIAL MANIFESTAÇÕES SOCIAIS E MÍDIA NA COPA DAS CONFEDERAÇÕES 2013: ESTUDO COM PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM FORMAÇÃO INICIAL

hot!
Adicionado em: 13/09/2016
Date modified: 13/09/2016
Tamanho: 1.06 MB
Downloads: 118

SANTOS, Silvan Menezes dos; PIRES, Giovani de Lorenzi. Manifestações sociais e mídia na Copa das Confederações 2013: estudo com professores de Educação Física em formação inicial. Revista Movimento, v.22, n.1, p. 199-210, jan-mar./2016.

 

O objetivo foi investigar de que maneira os professores de Educação Física em formação inicial atribuem significado ao discurso midiático-esportivo sobre megaeventos no âmbito da convergência digital. Um estudo observacional-descritivo, de inspiração etnográfica, com abordagem qualitativa. No cenário online da pesquisa, acompanhamos a página pessoal de cinco estudantes de Educação Física no Facebook. No cenário offline, foi realizada uma entrevista coletiva semiestruturada com os estudantes. Identificamos que, mesmo com compreensões críticas sobre o discurso midiático, faltou aos interlocutores a compreensão ampliada do fenômeno esportivo e das manifestações sociais relacionando-as com outras instâncias sociais, sobretudo com o próprio campo acadêmico e profissional.

MÍDIA-EDUCAÇÃO (FÍSICA) E METODOLOGIAS PARTICIPATIVAS: A PRODUÇÃO DE IMAGENS COMO POSSIBILIDADE DIDÁTICO-PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO FÍSICA MÍDIA-EDUCAÇÃO (FÍSICA) E METODOLOGIAS PARTICIPATIVAS: A PRODUÇÃO DE IMAGENS COMO POSSIBILIDADE DIDÁTICO-PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO FÍSICA

hot!
Adicionado em: 13/09/2016
Date modified: 13/09/2016
Tamanho: 721.74 kB
Downloads: 116

OLIVEIRA, Marcio Romeu; MIRANDA, Lyana Thédiga. Mídia-Educação (física) e metodologias participativas: a produção de imagens como possibilidade didático-pedagógica na educação física. Revista Educação e Cultura Contemporânea, v. 13, n. 31, 2016.

 

O artigo busca refletir sobre a abordagem metodológica-pedagógica participativa no campo da Educação Física escolar, apresentando como recorte o viés das metodologias participativas do vídeo e da fotografia (MEIRINHO, 2014; ALVAREZ, 2013, 2009; ZANOTTI, 2013; LUNCH; LUNCH, 2006; WHITE, 2003). Para fundamentar a discussão, apresenta um panorama sobre a imagem na modernidade e na cultura digital (SONTAG, 2004; JOLY, 2003; BENJAMIN, 1985). Em seguida, traça um breve percurso histórico do uso metodológico da imagem, partindo da Antropologia Visual (BATESON,1977). Após, apresenta o corpus de análise, composto por intervenções realizadas com acadêmicos de Educação Física e desenvolvidas na forma de oficinas de mídia-educação (OROFINO, 2015) com a base teóricometodológica na mídia-educação (FANTIN, 2011). Logo considera a Mídia-educação (Física) como possibilidade teórico-metodológica participativa e a caracteriza como um campo transdisciplinar de práticas pedagógicas ativas e reflexivas, cujo escopo é desenvolver as competências necessárias para que alunos e professores atuem de forma criativa e crítica na atualidade. Por fim, propõe a Mídia-educação (Física) como um espaço privilegiado de reflexão sobre fazeres e saberes pautados nos multiletramentos (COPE & KALANTZIS, 2012) ao tematizar o corpo, o movimento e as possibilidade de toma-los como linguagens que emergem das práticas da cultura digital. Desta forma, o artigo contribui com a Educação Física na sua interface com a Comunicação, ao propor que professores/as e alunos/as reflitam sobre a cientificidade dos temas que permeiam os dois campos, mas assumindo o compromisso da intervenção sociocultural por meio de uma prática didático-pedagógica reflexiva e inserida na contemporaneidade.

O ESPORTE NA/DA ESCOLA NAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE SANTA CATARINA. O ESPORTE NA/DA ESCOLA NAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE SANTA CATARINA.

Adicionado em: 13/09/2016
Date modified: 13/09/2016
Tamanho: 234.89 kB
Downloads: 99

SILVEIRA, Juliano. O esporte na/da escola nas políticas públicas de Santa Catarina.  Revista Kinesis, n. 36 (especial), p 17-36, 2016

 

Esta pesquisa é fruto de uma análise documental acerca das políticas públicas para o esporte escolar em Santa Catarina. Especificamente a Proposta Curricular de Santa Catarina e o Programa Estadual Esporte Escolar. A partir da análise realizada veremos que as contradições entre os documentos são enormes, estabelecendo um conflito entre os mesmos. Assim, mostraremos o quanto podem ser diferentes as políticas para o esporte escolar dentro e fora das aulas de Educação Física e as consequências do trato com o esporte em perspectivas aparentemente tão distintas numa mesma instituição.

O IMPULSO LÚDICO, A EXPERIÊNCIA ESTÉTICA E A CULTURA MIDIÁTICA ESPORTIVA O IMPULSO LÚDICO, A EXPERIÊNCIA ESTÉTICA E A CULTURA MIDIÁTICA ESPORTIVA

Adicionado em: 08/02/2017
Date modified: 08/02/2017
Tamanho: 411.98 kB
Downloads: 59

MEZZAROBA, Cristiano. O impulso lúdico, a experiência estética e a cultura midiática esportiva: esboçando aproximações e possibilidades. Revista Brasileira de Estudos do Lazer, Belo Horizonte/MG, v.3, n.1, jan./abr. 2016, p.53-75. Disponível em: <https://seer.ufmg.br/index.php/rbel/article/view/3048>. Acesso: 5 janeiro 2017.

O ensaio procura refletir e analisar possibilidades de experiência estética via cultura midiática esportiva, com o esporte tomado como entretenimento, enquanto produto mercadológico e em seu formato espetacularizado, pensando-o como algo constituidor de algum impulso lúdico que provoca e afeta os sujeitos espectadores (presencialmente ou mesmo tecnologicamente) pela sua dimensão estética, considerando sua forma, beleza e poder sublime. As reflexões situam-se no campo da Filosofia, da Educação e da Educação Física (EF) e podem permitir identificar potências para uma educação estética em torno do esporte, seja para aqueles que atuam na EF como também àqueles que se preocupam com formação de público e com educação para o lazer.